Publicado em: sábado, 27/08/2011

Steve Jobs pode ter renunciado para preservar cargo de CEO a Tim Cook

A renúncia de Steve Jobs do cargo de CEO da empresa Apple, da qual ele é cofundador, gerou diversas especulações quanto a quais teriam sido os seus motivos para finalmente tomar tal decisão. O colunista John Dvorak, do site Market Watch, defende que pode existir uma relação com a necessidade de manter Tim Cook como principal CEO da empresa, coisa que poderia acabar não acontecendo caso a saúde de Jobs piorasse ou se o próprio Cook cansasse de ficar na retaguarda.

De acordo com a publicação, essa teoria gira em torno do que aconteceria caso Jobs falecesse antes de poder indicar outro nome para ser seu substituto. Afinal, as funções de Cook agora como principal CEO na empresa não vão mudar só por que ele foi oficialmente nomeado. Jobs está de licença médica desde janeiro, o que significa que as suas funções já foram atribuídas a outras pessoas há muito tempo.

O texto de Dvorak explica que “desistir de ser o CEO e dar o cargo a Cook teria de ser feito rapidamente. A empresa não pode permitir que Cook fique cansado do papel que desempenha. O mais importante, da perspectiva de Cook, ele não pode ficar brincando de ser o chefe se Steve morrer no cargo.”

Além disso, o fato de Jobs não ter se desligado da Apple também sinaliza que ainda está tudo sob controle. O fato da intenção de participar do Conselho Diretor ter partido dele mostra que o cofundador da Apple ainda tem voz dentro da empresa e que continua “de olho” na administração.