Publicado em: quinta-feira, 06/10/2011

Steve Jobs: morte do co-fundador da Apple desestabiliza credibilidade da empresa

A confirmação da morte de Steve Jobs, co-fundador e visionário da Apple, que foi anunciada na noite desta quarta-feira (05), fez o mercado começar a considerar como será a concorrência entre as empresas do segmento da tecnologia daqui para frente. Para muitos, Jobs é considerado como a mente da empresa e responsável pelas principais características da Apple e pelas ideias inovadoras. A falta da sua presença passa a ser um motivo para questionar a possibilidade da continuidade do sucesso da Apple no seu segmento.

Desde o começo deste ano a Apple vem enfrentando questões judiciais com a concorrente sul-coreana Samsung por divergências a respeito de patentes. Porém, atualmente, a Samsung é a empresa que mais se aproxima do padrão de qualidade da Apple, principalmente quando se compara as tecnologias empregadas nos dispositivos das empresas. Os smartphones Galaxy, da Samsung, equipados com o sistema operacional Android, da Google, são vistos como a principal concorrência para a Apple.

Além do potencial da empresa rival, o atual executivo da Apple, Tim Cook, apresentou nesta terça-feira (04) o iPhone 4S, motivo de decepção para consumidores e analistas. A expectativa era pelo iPhone 5, mas a Apple mostrou apenas uma atualização do modelo já disponível no mercado.

Tanto a morte de Jobs quanto o iPhone 4S foram motivos que levaram à queda das ações da Apple. Agora, pessoas como o administrador de fundos no Polaris Group, Simon Liu, por exemplo, acreditam que “a Apple já não conta com alguém tão criativo e ambicioso como Jobs”.