Publicado em: quinta-feira, 12/07/2012

Sobrinho de Arafat afirma que Israel envenenou seu tio

Nesta quinta-feira (12), o sobrinho do ex-presidente palestino, Yasser Arafat, afirmou que Israel envenenou seu tio com o elemento polônio. Nasser al-Qudwa disse também que os responsável pelo assassinato de Arafat devem ser levados para julgamento pelo crime.

As declarações foram dadas por telefone pelo próprio Nasser al-Qudwa para a agência de notícias France Press. A descoberta de um possível envenenamento com polônio foi pela pelo Institute for Radiation Physics de Lausanne, na Suíça. O instituto fez a análise de peças do ex-líder palestino para obter tais resultados.

Análise

O instituto suíço analisou itens pessoais de Yasser Arafat que estavam em posse sua viúva. As peças foram entregues a ela depois da morte do líder palestino, no dia 11 de novembro de 2004, no hospital militar de Percy. Após feita a análise das amostras biológicas, o instituto verificou que existia uma quantidade fora do comum do elemento. A informação foi transmitida pela TV Al-Jazeera no dia 3 de julho.

Nasser al-Qudwa, que também é presidente da Fundação Yasser Arafat, afirmou que fez contato com o instituto suíço para dizer que a análise do corpo de seu tipo poderia ser realizada de fosse preciso. Ele afirma que a fundação já desconfiava que Arafat tinha sido envenenado, mas que não possuía provas para justificar tal acusação.