Publicado em: segunda-feira, 23/07/2012

Síria rejeita proposta para saída de Assad do poder

Nesta segunda-feira (23), o governo da Síria não aceitou a proposta feita pela Liga Árabe para que o presidente Bashar al-Assad deixasse o poder em meio a uma saída negociada. O porta-voz Jihad Makdesi afirmou, em um comunicado feito em Damasco, que a decisão deve ser feita pelo povo do país, que “é o único responsável pelo seu destino”.

O porta-voz disse ainda que todas as declarações feitas são hipócritas. Ele afirmou também que se os países árabes que estiveram em uma reunião em Doha quisessem mesmo que a violência acabasse na Síria eles já teriam parado de oferecer armas ao país. Nesta segunda-feira, a Liga Árabe fez a convocação do presidente sírio para que ele deixasse o poder e os confrontos fossem encerrados.

Acordo

Segundo o primeiro-ministro do Qatar, o sheik Hamad bin Khalifa Al-Thani, em uma declaração para a imprensa depois da reunião em Doha, existe um acordo com relação a necessidade de que o presidente da Síria renuncie rapidamente o seu cargo. A Liga Árabe também fez a convocação do Exército Sírio Livre, formado por rebeldes, para que seja formado um governo de transição.

A informação foi dada para a imprensa pelo sheik Hamar bin Khalifa Al-Thani, que afirmou que, com a convocação dos rebeldes, a Liga pretende criar um governo de unidade nacional na Síria. O primeiro-ministro do Qatar solicitou que o presidente Assad decida de maneira corajosa a sua decisão, a fim de salvar a Síria dos combates travados pelos rebeldes e seu exército.