Publicado em: quarta-feira, 29/02/2012

Síria recusa permissão de entrada de chefe de ajuda humanitária da ONU no país

Nesta quarta-feira (29), Valerie Amos, chefe de ajuda humanitária da Onu, afirmou que estava muito desapontada pela negação da Síria de não permitir sua entrada no país, onde ela pretendia verificar a necessidade de ajuda de emergências nas cidades que sofrem com os ataques do Exército sírio. Ela afirmou, através de um comunicado oficial, que a recusa veio “apesar de sucessivos pedidos para encontrar-se com autoridades sírias de alto escalão a fim de discutir a situação humanitária e a necessidade de livre acesso às pessoas afetadas pela violência”.

A autoridade afirmou que o tema de maior importância no momento é a necessidade de uma assistência médica e alimentar para as pessoas que sofrem com o conflito, assim como o abastecimento básico. Ela afirma ainda que é muito importante que se consiga alcançar as pessoas que precisam urgentemente de ajuda lhes dar assistência.

Mesmo com esforços russos, Síria negou pedido

De acordo com um diplomata do Ocidente, o governo Sírio não permitiu a entrada de Valerie Amos no país, mesmo com todos os esforços do governo russo para conseguir esta permissão. A China e a Rússia já vetaram, por duas vezes, no Conselho de Segurança da ONU, que a Síria fosse condenada pelos 11 meses que repreendeu manifestantes pró-democracia.

De acordo com a ONU, este período de repressão causou a morte de mais de 7.500 civis em todo o país. A Organização das Noções Unidas esboçou outra resolução para o caso da Síria, agora para determinar a entrada das equipes de ajuda humanitária nas localidades afetadas pelos conflitos e também pelo fim da violência nas cidades.