Publicado em: sábado, 07/04/2012

Síria quer que ONU acabe com o financiamento do terrorismo no país

Nesta sexta-feira (6), o governo da Síria pediu que a Organização das Nações Unidas (ONU) desenvolva medidas para que se possa impedir o financiamento de ataques terroristas no país. Uma solicitação foi enviada para o secretário-geral, Ban Ki-moon, e a outra para a presidente de turno do Conselho de Segurança, a norte-americana Susan Rice.

Ao menos 42 pessoas foram mortas ontem na Síria em decorrência das repreensões feitas pelo regime. As informações foram concedidas pelos Comitês de Coordenação Local, que disseram que os ataques foram cometidos mesmo com a presença da ONU em território sírio. A maior parte das mortes foi de integrantes do grupo de oposição de Homs, num total de 23 mortos.

Mortes após a ONU chegar ao país

Os assassinatos aconteceram um dia após um grupo de observadores de a organização chegar ao país. Porém, ainda não foi registrada nenhuma declaração por Damasco. De acordo com informações do Comitê as agências de notícias internacionais, mais de vinte bombas foram jogadas pelo exército sírio no bairro de Khalediya, em Homs.

Os bombardeios feitos pelas forças do regime também atingiram a província de Aleppo, onde estavam tanques do Exército do país e também helicópteros militares. Vários moradores do norte de Aleppo fugiram de suas casas devido aos ataques do governo. A agência oficial “Sana” informou que três possíveis terroristas foram mortos também nesta sexta-feira em conflitos em Damasco.