Publicado em: sábado, 08/03/2014

Sindicato pede multa pesada ao Corinthians por invasão

Sindicato pede multa pesada ao Corinthians por invasãoA invasão ao centro de treinamentos do Corinthians, no dia 1º de fevereiro, pode acabar custando caro ao clube. Nesta quinta-feira, 6 de março, o Sindicato dos Atletas de São Paulo informou que pretende multar o clube em R$6,2 milhões, através da Justiça de Trabalho. A ação será julgada no dia 3 de junho.

Falta de segurança

De acordo com o sindicato, a ação terá dois itens: o primeiro deles diz respeito a assédio moral e atentado aos jogadores do clube; o segundo se refere à falta de segurança do ambiente de trabalho. Cada um destes itens, de acordo com o processo, origina uma indenização de R$100 mil por jogador – ou seja, R$200 mil por atleta que estava no CT no momento da invasão. Quando os cem torcedores do Corinthians entraram no CT, havia 31 atletas no local, o que dá como resultado o processo de R$6,2 milhões. O Corinthians informou, em nota, que ainda não foi notificado oficialmente sobre a ação e, por isso, não fará qualquer comentário por enquanto.

De acordo com Washington Rodrigues de Oliveira, advogado do sindicato, o Corinthians foi indiciado no caso devido à sua relação com as torcidas organizadas. Inicialmente, a ideia era propor uma ação civil pública, através do Ministério Público do Trabalho, mas o Sindicato dos Atletas acabou considerando, por fim, que o Corinthians teve participação indireta na invasão, devido à sua proximidade com as organizadas que estiveram presentes na invasão.

Proximidade

Benedito Roberto Meira, comandante-geral da Polícia Militar, chegou a insinuar que os portões do centro de treinamentos do Corinthians teriam sido abertos para que as torcidas organizadas entrassem no local. O Corinthians, entretanto, declarou que não houve qualquer tipo de facilitação para a entrada dos torcedores.

Segundo o advogado do sindicato, as torcidas organizadas do Corinthians têm uma série de privilégios de acesso à diretoria do clube. Washington Oliveira afirmou que, no clube, a Gaviões da Fiel tem o mesmo status da FIFA, enquanto torcedores comuns que desejam falar com o Corinthians têm de utilizar a ouvidoria.

Números

Para ilustrar a proximidade perigosa do Corinthians com suas torcidas organizadas, o Sindicato dos Atletas fez um levantamento sobre os textos presentes na página oficial do clube. Ao todo, há mais de quinhentos textos sobre torcidas organizadas, sendo que mais da metade deles, 286, falam sobre a Gaviões da Fiel. Estas matérias são referentes a eventos da torcida, festas e eleições internas que, em tese, nada teriam a ver com o Corinthians.

Outras torcidas organizadas da equipe também são citadas em textos no site oficial do clube, como Camisa 12 (132 textos), Pavilhão 9 (28) e Estopim da Fiel (69).

O sindicato não pediu qualquer autorização aos atletas do Corinthians para entrar com a ação. Segundo o advogado do órgão, os jogadores certamente não aceitariam o processo, por ainda trabalharem no Corinthians. Contudo, o sindicato declarou que pode defender os direitos dos jogadores mesmo sem a autorização deles. Caso o processo seja ganho, todo o dinheiro será revertido para os jogadores.