Publicado em: segunda-feira, 15/07/2013

Siemens aponta cartel em licitações do metrô paulista

Siemens aponta cartel em licitações do metrô paulistaA empresa alemã Siemens delatou para as autoridades antitruste do Brasil que existe um cartel, a qual diz que fazia parte, que realiza licitações de compra de equipamento ferroviário, fora da construção e da manutenção de linhas de trens e de metrô nas cidades de São Paulo e também no Distrito Federal. A empresa é uma das gigantes de infraestrutura, e já tinha sido condenada em outros países devido a conduta que atuava contra a concorrência de maneira livre.

O esquema que a empresa delatou conta com subsidiárias de outras empresas multinacionais como por exemplo a empresa francesa Alstom e também da canadense Bombardier, além da espanhola CAF e por fim a japonesa Mitsui.

Estas são as maiores candidatas para a disputa do megaprojeto do trem-bala que pretende ligar a cidade do Rio de Janeiro com São Paulo. Este leilão deverá acontecer durante o mês de Agosto.

Combinações de maneira ilícita entre estas empresas podem dar um resultado nas contratações que tenha valores de 10% até 20% maiores, conforme estimativas do que elas praticariam em uma concorrência comum.

No começo deste mês, a Superintendência-Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) fez uma busca e apreendeu documentos nas sedes das empresas. A Operação chamada de Linha Cruzada fez a execução de mandados judiciais na cidade de São Paulo, além de Diadema, Hortolândia e também da capital Brasília.

Conforme apontam as denúncias, este cartel esteve atuando em pelo menos seis licitações no País. Porém não se sabe qual o tamanho real, o alcance, e o período que atuaram nem qual foi o prejuízo que isto causou.

A Siemens entregou o sistema e fez a assinatura de um acordo de leniência, que poderá garantir que a empresa e executivos fiquem isentos se um cartel for confirmado.