Publicado em: quinta-feira, 01/09/2011

Sessão histórica da Câmara Municipal de Tangará da Serra cassa seis mandatos em oito dias

A Câmara Municipal de Tangará da Serra, localizada próximo a Cuiabá, realizou uma sessão histórica. Em oito dias de avaliação, os parlamentares cassaram os mandatos do prefeito Júlio César Ladeia, do vice José Jaconias, e de outros quatro funcionários da política local. Todos são acusados pelo mesmo esquema de fraude no sistema de saúde público, o qual teria causado um prejuízo de R$ 1,5 milhão nos recursos públicos do município.

A demora da sessão e da decisão dos parlamentares é justificada pela leitura obrigatória de um relatório de mais de duas mil páginas. De acordo com o texto, os acusados teriam cometido 29 infrações. As irregularidades foram identificadas na contratação da Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip). Além do tamanho do relatório, a defesa dos réus exigiu que o texto integral fosse lido em plenário. A formulação do texto teve como base evidências de contratos, denúncias e mais de 40 depoimentos de testemunhas.

Entre todos os acusados, o primeiro a ser julgado por oito acusações foi o vereador Celso Ferreira (DEM). Todas as irregularidades atribuídas a ele constam no relatório. Na sequência, Genilson Kezomae (PR) foi o segundo acusado a perder seu mandato. Para completrar o quadro de vereadores, Haroldo Lima (DEM) e Paulo Porfírio (PR) foram os últimos.

O vice-prefeito da cidade, José Jaconias, teve nove acusações contra a sua atuação no cargo. O prefeito, Júlio Cesar Ladeia, já afastado, não compareceu para apresentar sua defesa. O presidente da Câmara assumiu a prefeitura e cinco suplentes vão ocupar o restante dos cargos, sendo um deles o da própria presidência da Câmara.