Publicado em: segunda-feira, 01/10/2012

Sessão do STF nesta segunda deve finalizar polêmica sobre compra de votos

Sessão do STF nesta segunda deve finalizar polêmica sobre compra de votosO julgamento do Mensalão no Supremo Tribunal Federal (STF) que se estende por um mês, poderá ter em sua sessão de hoje a tarde um fim em uma des suas maiores controvérsias sobre o escândalo, saber se o esquema foi feito para a compra do apoio aos políticos em sessões do Congresso ou não.

O esquema foi organizado pelo empresário Marcos Valério Fernandes de Souza e por alguns políticos do Partido dos Trabalhadores (PT) e o objetivo, segundo dizem os políticos envolvidos, era financiar campanhas eleitorais, e não corromper parlamentares.

Os ministros do STF interromperam o julgamento na última quinta-feira (27) passada, quando os votos foram suficientes para que o ex-deputado federal Roberto Jefferson (PTB) que revelou a existência do mensalão e alguns outros líderes de partidos foram condenados por corrupção passiva.

Na sessão de hoje, os ministros Dias Toffoli, Marco Aurelio Mello, Celso de Mello e Carlos Ayres Britto, presidente do STF, deverão declarar os seus votos. Os outros seis ministros e ministras já declararam os seus votos.

Os seis ministros falaram que para que o crime seja caracterizado como corrupção passiva, não importa para onde o dinheiro foi destinado, só é necessário que fique claro que o dinheiro foi recebido pelos políticos, isto é, houve uma vantagem que não lhes era devida, afirmaram os ministros.

Apesar de isso já ter sido definido, o objetivo real deste esquema terá uma grande relevância para a história e para a política, pois se a maior parte dos ministros caracterizar o mensalão como sendo feito para a compra de apoio dentro do Senado, a alta corte do Brasil derrubará a tese que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e os réus do processo defendem desde o início do mensalão.