Publicado em: domingo, 30/03/2014

Servidores da Educação de São Paulo receberão R$ 700 milhões em bônus na próxima segunda-feira

Servidores da Educação de São Paulo receberão R$ 700 milhões em bônus na próxima segunda-feiraProfessores da rede estadual de ensino de São Paulo receberão bonificação salarial na próxima segunda-feira (31). O governo do Estado anunciou que, ao todo, serão investidos R$ 700 milhões nestes bônus, que vão beneficiar 255 mil servidores de 4.030 escolas de todas as regiões do Estado.

Esta gratificação é calculada seguindo a evolução do Índice de Desenvolvimento da Educação do Estado de São Paulo (Idesp). Além disso, a situação socioeconômica das instituições de ensino também foi levada em conta para realizar o cálculo deste ano.

Tal anúncio foi realizado simultaneamente à convocação de manifestação pelo Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp). Entre as reivindicações dos representantes da classe, a equiparação salarial com os outros funcionários de nível superior do Estado está entre as principais demandas.

Ficou devendo

O valor do repasse dos bônus podia ter sido bem maior. Isso porque os números do Idesp tiveram quedas no ensino médio e mantiveram o ritmo no ensino fundamental 2. Apenas foi registrado aumento no ensino fundamental 1. Na comparação com 2012, o número de escolas aptas a receberem a bonificação caiu 4,1 pontos percentuais. No ano passado, o número foi de 81%, contra 85,1 no período anterior. Entretanto, o número de servidores que receberão a gratificação subiu 24%, assim como o valor pago, que aumentou em 18% na comparação com o ano anterior.

Este bônus não atende apenas aos professores, e abrange também todos os demais funcionários das escolas que alcançam ou ultrapassam as metas impostas pelo Idesp. Com bons resultados, os trabalhadores podem ganhar quase três salários a mais. Dentre os beneficiados estão 206 mil professores. Neste ano, 47 mil deles receberão bônus que variam de R$ 5 mil a R$ 8 mil. A tática foi adotada pelo Governo de São Paulo em 2009.