Publicado em: quarta-feira, 10/07/2013

Servidora da Receita Federal foi condenada por sumir com processo da Globo

Servidora da Receita Federal foi condenada por sumir com processo da GloboCristina Maris Meinick Ribeiro, servidora pública da Receita Federal recebeu uma condenação de quatro anos e 11 meses de prisão através da 3ª Vara Criminal Federal do Rio de Janeiro por extraviar de um processo, entre outros crimes. O processo que ela deu o sumiço era contra o canal de televisão aberta Globo onde a emissora era cobrada com uma taxa maior de 600 milhões de reais por sonegação fiscal em uma compra de direitos para a retransmissão da Copa do Mundo que fez no ano de 2002.

De acordo com a sentença executada por Fabrício Antônio Soares, juiz federal, a servidora Cristina entrou no ambiente do escritório onde trabalhava na Receita na cidade do Rio de Janeiro e retirou de lá este processo citado contra a emissora Globo. Algumas das imagens que o sistema interno de segurança do escritório possuía foram devidamente anexados e mostraram Cristina no dia 2 de janeiro do ano de 2007, época de suas férias, indo a seu escritório com uma bolsa e subtraindo documentos, saindo de lá com uma sacola completamente cheia de papéis.

Outra condenação além de desaparecer com o processo da emissora, Cristina também recebeu condenação por colocar informações falsas no sistema da Receita Federal de ao menos três diferentes empresas, no caso de uma destas empresas devedoras aos cofres públicos o prejuízo era de 4,2 milhões de reais.

A servidora está em recurso de liberdade esperando por seu julgamento. Cristina teve decreto de prisão preventiva no ano de 2007, porém teve o benefício com habeas corpus vindo Supremo Tribunal Federal (STF) onde o ministro Gilmar Mendes foi o seu relator.

Nesta terça-feira, dia 9 de julho em nota o Ministério Público do Rio de Janeiro anunciou que este processo contra a emissora de televisão Globo já foi reconstruído pela Receita Federal e esta seguindo normalmente com o seu trâmite.