Publicado em: quinta-feira, 05/01/2012

Serasa Experian indica redução de crescimento da atividade comercial em 2011

O Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio mostrou que, em 2011, o principal responsável para que o comércio brasileiro tivesse alta de 8,7% em 2011 foi a grande venda ocorrida em lojas de materiais de construção. Porém, o crescimento acabou ficando abaixo do verificado em 2010, quando a alta chegou a 10,3%.

No último mês do ano, houve alta de 1,9% no movimento de consumidores do que no mês anterior. Em dezembro, o setor que obteve a maior expansão foi o de veículos, motos e peças, com 1,5% de aumento, seguido de materiais de construção, que obteve expansão de 1,2%. Já no acumulado do ano, este último lidera o crescimento, com aumento de 10,9%. Em 2010, contudo, o aumento havia sido maior (17%) em relação a 2009.

Em dezembro, a segunda maior procura aconteceu no setor de combustíveis e lubrificantes, com 8,7%, mesmo valor dos móveis, eletrônicos e informática. Os especialistas da Serasa disseram que as vendas no segundo semestre de 2011 cresceram 9,6% se comparadas às do mesmo período do ano anterior. De acordo com os economistas, a menor velocidade nas vendas se deve a uma reação dos brasileiros às medidas adotadas dentro da economia nacional pra tentar evitar que o país sofra os efeitos da crise econômica internacional.

Em comunicado, a Serasa diz que o ritmo do comércio de varejo diminui durante o segundo semestre devido aos efeitos das condições de crédito defasadas, do alto índice de inadimplência dos consumidores e do agravamento da crise financeira internacional.