Publicado em: terça-feira, 25/02/2014

Sensor brasileiro reduz tempo de diagnóstico da hepatite C de 20 dias para 6 minutos

Sensor brasileiro reduz tempo de diagnóstico da hepatite C de 20 dias para 6 minutosUm sensor é capaz de detectar a presença de hepatite C em bolsas de sangue em apenas seis minutos. A tecnologia, desenvolvida pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Araraquara (SP), pode trazer benefícios como o fim do desperdício de material não aproveitado em doações, e até a facilitação do diagnóstico da doença em pacientes.

Com os métodos tradicionais, a identificação da hepatite C pode levar até três semanas. Já pelo novo método, o tempo de espera pelo resultado dos exames de sangue é eliminado. O sensor, por usar tecnologia 100% nacional, é bem mais barato do que equipamentos importados. E os resultados são certeiros, graças à sensibilidade do novo método, que não deixa margem para resultados inconclusivos, ou falsos diagnósticos.

Custo reduzido e facilidade na aplicação

Especialistas apontam que o principal benefício do novo método é melhorar a capacidade de diagnóstico em lugares onde falta estrutura, além de agilizar o processo em situações de emergência. A simples aplicação do teste permite que ele seja realizado em locais com pouca infraestrutura, assim como em postos de saúde.

A expectativa, agora, é que o teste possa ser aplicado antes mesmo de coletar o sangue do doador. Com a patente já requerida, a economia para o Sistema Único de Saúde (SUS) seria elevada, uma vez que um teste comum tem custo de R$ 50 aproximadamente, e o sensor da Unesp sai por cerca de R$ 10. Isso também permitiria maior realização de campanhas para identificação da hepatite C.