Publicado em: segunda-feira, 10/03/2014

Senadores dos EUA querem excluir Rússia da Copa de 2014

Senadores dos EUA querem excluir Rússia da Copa de 2014Dois senadores dos Estados Unidos enviaram, nesta sexta-feira, uma carta a Joseph Blatter, presidente da FIFA, exigindo que a Rússia seja suspensa como país membro da entidade máxima do futebol. Com isso, os russos ficariam impedidos de disputar a Copa do Mundo de 2014, além de perder o direito de ser o país sede do próximo Mundial, em 2018. A Rússia já foi confirmada como sede do evento.

Argumentos

A argumentação dos senadores norte-americanos é um desdobramento das questões políticas envolvendo os dois países no que diz respeito à situação da Ucrânia. De acordo com o Wall Street Journal, os dois senadores citaram o estatuto da FIFA para embasar o pedido. Dan Coats e Mark Kirk, os senadores que entraram com a ação, defendem que o estatuto da entidade máxima do futebol proíbe a discriminação vinda de qualquer país, no que diz respeito a origens étnicas e política. Por isso, a invasão à Crimeia seria uma violação à soberania de outra nação.

Antecedentes

Os senadores também se recordaram de um caso ocorrido na década de 1990, quando a Iugoslávia foi suspensa pela FIFA em situação semelhante. Na época, a suspensão acabou resultando na exclusão dos iugoslavos da Eurocopa de 1992 e também da disputa pelas Eliminatórias para o Mundial de 1994. Para os senadores dos Estados Unidos, este caso pode ser visto como um precedente para punição similar.

Na carta, endereçada diretamente a Joseph Blatter, os senadores argumentam que a Rússia está claramente desrespeitando princípios fundamentais adotados pela FIFA e, por isso, não merece a honra de sediar um Mundial, ou de participar dele.

Grupos

Curiosamente, a Rússia foi sorteada no Grupo H da Copa do Mundo de 2014, enquanto os Estados Unidos estão no Grupo G. Por isso, existe a possibilidade de que as duas equipes se encontrem já nas oitavas de final da competição, desde que os norte-americanos consigam superar o favoritismo de Alemanha e Portugal.

Apesar das tensões políticas recentes envolvendo a Rússia, a possibilidade de suspensão, nas atuais circunstâncias, é mínima. Entretanto, devido ao tempo hábil para a realização do próximo Mundial, a Rússia corre, de fato, risco de perder o direito de sediar a próxima Copa do Mundo. Contudo, o sucesso dos Jogos Olímpicos de Inverno, realizados este ano em Sochi, pode jogar a favor dos russos nesta questão.

Caso a tensão política se agrave e a FIFA retire da Rússia o direito de sediar a Copa do Mundo de 2014, o evento provavelmente seria transferido para algum dos concorrentes dos russos na disputa pelo direito de sediar a Copa de 2018. Na época (a escolha foi feita em 2010), havia também as candidaturas da Inglaterra, Bélgica e Holanda (candidatura conjunta), Portugal e Espanha (idem). Até o momento, entretanto, a FIFA não fez qualquer menção de que estaria disposta a se envolver em uma crise com a federação russa. A entidade máxima do futebol também não fez comentários sobre a carta enviada pelos senadores dos Estados Unidos.