Publicado em: terça-feira, 17/07/2012

Seleção Brasileira – Mano pede calma e cita Tite e Felipão como exemplos

Ciente da pressão que sofre no comando da seleção brasileira, o técnico Mano Menezes pediu paciência e citou os dois últimos feitos de Corinthians e Palmeiras como exemplo para assegurar a sua permanência no cargo, mesmo com um eventual fracasso nas Olimpíadas de Londres.

Mano citou Tite, no Corinthians, e Luiz Felipe Scolari, no Palmeiras, como exemplos a serem seguidos no que diz respeito à manutenção dos técnicos. Ambos já completam mais de dois anos à frente de suas equipes, e seguiram em seus cargos mesmo após resultados ruins, e neste acabaram colhendo as glórias levando os times às conquistas da Copa Libertadores da América e da Copa do Brasil.

O técnico da seleção brasileiras chegou a pedir a ajuda da imprensa para que os projetos a longo prazo ganhem confiança no Brasil. De acordo com Mano, é preciso paciência também por parte dos jornalistas, que evitem cobranças maiores dos técnicos após cinco resultados ruins. Apesar do tema, Mano Menezes fez questão de assegurar que não estava fazendo uma defesa de causa própria, mas sim da condição da maioria dos treinadores do futebol brasileiro.

Mano Menezes está perto de completar dois anos à frente da seleção brasileira. No comando da equipe pentacampeã do mundo, o treinador venceu 15 partidas, empatou cinco e perdeu outras cinco. Pesam contra o atual técnico o fato de que estas derrotas foram para equipes de tradição no futebol mundial, caso da Alemanha, França e Argentina (sendo que esta venceu os brasileiros por duas vezes). Para piorar, Mano ainda conta com o fracasso na Copa América, quando não passou das quartas de final, tendo sido eliminado pelo Paraguai, nos pênaltis.

Desde que José Maria Marin assumiu a presidência da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), a pressão sobre Mano Menezes aumentou consideravelmente. O dirigente não estaria satisfeito com o trabalho do técnico, e um eventual fracasso nas Olimpíadas de Londres seria suficiente para que houvesse uma troca de treinadores.