Publicado em: terça-feira, 27/05/2014

Seleção Brasileira enfrenta protestos de professores durante o trajeto para Granja Comary

Seleção Brasileira enfrenta protestos de professores durante o trajeto para Granja ComaryOs jogadores da seleção Brasileira já estão reunidos e nesta segunda-feira enfrentaram a onda de protestos que ocorrem no Rio de Janeiro, o manifesto dos professores aconteceu em uma das localidades pela qual o ônibus com os jogadores teria de passar por fazer parte do trajeto para a granja Comary.

Os professores estavam manifestando por reajustes salarias e também melhores condições de trabalho, em meio a manifestação haviam professores estaduais e também militantes do PSOL, PSTU e PCB, eles também estavam pedindo para que os desabrigados das enchentes ocorridas em 2011 pudessem ter o direito de ter residências próprias.

Haviam na rua em torno de 90 pessoas em meio a manifestação, haviam pelo menos dez manifestantes que ecoavam o grito de “Brasil vamos acordar, o professor ganha menos que o Neymar”, isso instantes antecedentes a passagem do ônibus da seleção por aquela localidade, porém mais à frente tinha um grupo de torcedores que apoiavam a seleção e um carro de som também prestigiava a seleção.

A Confederação Brasileira de Futebol já estava à espera de manifestos que poderiam ocorrer nesta época e já chegando ao aeroporto, um alto esquema de segurança foi montado, com integrantes da polícia militar que teve auxílio de alguns integrantes do Batalhão de Choque, os participantes do manifesto bloquearam as ruas por onde o ônibus iria passar, mas o ônibus com os jogadores passou por locais alternativos, o que possibilitou que eles chegassem a Granja Comary.

Anteriormente a todos esses acontecimentos, o ônibus que transportava os jogadores enfrentou algumas dificuldades para deixar o hotel, onde estavam, já que um grupo que estava manifestando entrou na frente do ônibus impedindo a passagem do mesmo, alguns colaram adesivos nas laterais do ônibus e ofenderam os jogadores com xingamentos, com a ação da Tropa de Choque, os manifestantes foram dispersados e o caminho ficou aberto para que o ônibus pudesse prosseguir.