Publicado em: segunda-feira, 16/07/2012

Segundo pesquisa, quem apanha na infância tende a resolver problemas com violência

Segundo um estudo realizado pelo Núcleo de Estudos da Violência (NEV) da Universidade de São Paulo (USP), a exposição das crianças à violência durante a infância pode ter conseqüências para a vida adulta. Conforme mostram os dados da pesquisa, as crianças que sofrem agressão podem ter mais chances de se tornarem adultos violentos na hora de resolver conflitos.

A criança aprende que pode usar a violência para resolver um problema na escola, por exemplo, acreditando ser esta uma maneira legítima. Outro problema também é o fato de a criança se tornar vítima da violência por ser agredida. A vice-coordenadora do NEV, Nancy Cardia, disse que essa experiência pode crescer ao longo da vida e, ao se tornar adulto, utilizar desses meios para solucionar problemas, seja no trabalho ou no ambiente familiar.

Pesquisa entrevistou pessoas em todo o país

Para fazer a pesquisa foram feitas entrevistas com 4 mil pessoas com idade acima de 16 anos em 11 capitais: Porto Velho, Fortaleza, Porto Alegre, São Paulo, Belo Horizonte, Salvador, Recife, Rio de Janeiro, Belém, Manaus e também Goiânia. Os questionários foram aplicados pelo Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (Ibope) durante o ano de 2010. Os resultados mostraram que 70% dos entrevistados apanharam na infância. Além disso, pelo menos 20% disseram que foram agredidos até mais de uma vez por semana. Além disso, há uma tendência de quem foi agredido na infância de usar esse método contra os filhos. Com isso, ressaltam os pesquisadores, fecha-se “um ciclo perverso do uso da força física”. Além disso, segundo os pesquisadores, usar esse tipo de punição tem mais prejuízos que benefícios na educação dos filhos. Um dos pesquisadores também ressalta que nem todo adulto que apanhou será violento e que é necessário observar outras questões, como o contexto social.