Publicado em: quinta-feira, 06/11/2014

Segundo governo não há possibilidade alguma de país ter racionamento de energia elétrica em 2015

Segundo governo não há possibilidade alguma de país ter racionamento de energia elétrica em 2015Segundo informações passadas pelo governo, nesta quinta-feira, não há possibilidade alguma de haver racionamento de energia elétrica no ano que vem, de acordo com o secretário executivo do Ministério de Minas e Energia, Marco Zimmermann, mesmo o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico, tendo constatado por meio de cálculos, que o nível de desabastecimento tenha chegado ao seu máximo de 5%, esta situação não determina uma falta de energia elétrica potencial no ano que vem.

De acordo com o secretário apesar de o máximo tolerável ser 5%, e já se tenha chego a esse valor, este índice pode ser considerado excelente, além disso, Marco declara que é preciso esperar pelo mês de abril de 2015, para que esse cálculo seja refeito, já que ao final do mês de abril é que chega ao fim o período de chuvas mais intenso do ano.

Segundo Hermes Chipp, que é diretor geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico, a previsão dos institutos de meteorologia, no mês de novembro as chuvas estarão concentradas nos principais sistemas de abastecimento de São Paulo, o mesmo acontecerá com Minas Gerais, além disso, as chuvas devem ficar na média histórica para o mês ou até mesmo acima dela.

Além disso, Hermes também declarou que se o número referente ao risco ficar em torno de 5.2% e 6%, estes não determinam diretamente que haverá racionamento de energia, para saber se há risco de racionamento deve-se levar em consideração se no período de chuvas a água que virá será o que se é necessário ou não, para Chipp, é importante que se haja um programa relativo ao desperdício de energia elétrica, pois segundo ele este poderia ser feito mesmo em casos em que os índices de água estão considerados normais, porém o governo determina que só há racionamento de energia quando não há mais nenhum recurso disponível.

Segundo Hermes a utilização das usinas térmicas é mais cara para os consumidores, apesar disto estas tem de ser mantidas ligadas para que assim se tenha a garantia de segurança no sistema, segundo ele, quando os recursos estão escassos tem que se utilizar das usinas térmicas, mas caso haja chuvas que estejam acima da média para o determinado período pode haver o desligamento destas, que por serem movidas a óleo, remetem um custo maior aos consumidores.