Publicado em: quinta-feira, 29/09/2011

Segundo chefe de segurança, filhos de Jackson o viram morrer

O chefe da segurança de Michael Jackson, Faheem Muhammad, afirmou que os filhos do cantor, Prince e Paris, estavam no quarto quando este faleceu. Segunto Muhammad, testemunhando no julgamento de Conrad Murray, as crianças presenciaram o momento em que o médico tentava reanimar o cantor.

Muhammad disse no tribunal que Murray perguntou se alguém no quarto sabia como fazer uma reanimação cardíaca. Ele contou que as crianças estavam chocadas e a menina chorava deitada no chão. O testemunho de Muhammad aconteceu ontem, no segundo dia do julgamento do médico. Essa confissão procurava esclarecer como Conrad Murray encontrou Michael Jackson.

O assistente pessoal de Michael, Amir Williams, foi outra testemunha ouvida ontem no tribunal. Ele disse que no dia sua morte, o cantor conversou com os fãs e fez um de seus melhores ensaios. Williams afirma que deu boa noite ao rei do pop e foi para casa. No dia seguinte, recebeu uma ligação que dizia que o músico não estava bem, e quando chegou à casa de Jackson, ele já estava sendo colocado na ambulância.

Williams disse que Murray pediu para ir a mansão do cantor para pegar um creme que o músico que não queria que os fãs soubessem que ele usava. Mas o assistente pessoal não permitiu. Murray nega todas as acusações e afirma que Michael Jackson provocou a própria morte. Se for condenado, ele perderá a licença médica e terá quatro anos de prisão.