Publicado em: sábado, 03/03/2012

Secretário-geral da ONU afirma ter “relatos horripilantes” sobre a Síria

Nesta sexta-feira (2), o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, afirmou que possui “relatos horripilantes” sobre diversas torturas, execuções e prisões feitas pelas forças do governo da Síria na cidade de Homs com relação à fuga dos rebeldes da localidade. O principal alvo dos ataques do exército era no bairro de Baba Amro, que se transformou em um marco de resistência ao atual presidente do país, Bashar al Assad. O local ficou por mais de três semanas cercado por militares e teve centenas de mortos.

Na quinta-feira, a chancelaria da Síria afirmou que as forças governamentais “limparam Baba Amro dos grupos armados de terroristas patrocinados pelo exterior”. Ativistas garantem que as tropas do governo estão perseguindo matando aqueles que continuarem em Baba Amro para ajudar na fuga dos demais colegas do grupo.

Embaixador sírio afirma que chefe difamou com base em relatos

Ban ki-moon afirmou na Assembleia Geral da ONU, que aconteceu em Nova York, que o órgão está recendo dezenas de relatos com relação as “execuções sumárias, detenções arbitrárias e torturas” na cidade de Homs. O embaixador da Síria na ONU, Bashar Ja’afari, por sua vez, disse que o chefe da organização está se limitando a “difamar um governo com base em relatos, opiniões e rumores”. O embaixador disse anda que Ban Ki-moon não está inteiramente informado sobre o assunto.

O Comitê Internacional da Cruz Vermelha afirmou que seu comboio de ajuda humanitária conseguiu chegar até o bairro de Baba Amro, porém foi impedido de entrar na localidade. Em uma nota, Jakob Kellenberg, presidente da entidade, disse que não é aceitável que as pessoas que precisam de ajuda tenham que esperar semanas e ainda não recebam o que lhes é devido. O presidente disse ainda que o comboio irá permanecer na cidade até que consiga finalmente entrar no bairro para ajudar os feridos e doentes.