Publicado em: quarta-feira, 21/05/2014

Secretário dos Transportes Jilmar Tatto aciona Ministério Público para investigação sobre paralisações em São Paulo

Secretário dos Transportes Jilmar Tatto aciona Ministério Público para investigação sobre paralisações em São PauloO secretário dos transportes Jilmar Tatto declarou nesta terça-feira que procedeu uma denúncia no Ministério Público para que as paralisações por parte de trabalhadores de ônibus sejam investigadas.

De acordo com Tatto os procedimentos adotados pelos grevistas foi totalmente surpresa, já que um acordo havia sido firmado com representantes do sindicato da categoria, onde eles ofereciam reajuste salarial de 10% e mais benefícios, o sindicato concordou com os valores estipulados.

Porém nesta quarta-feira a paralisação permanece e participantes do movimento dizem que não há previsão para que o transporte seja normalizado na cidade de São Paulo, já que não houve um acordo entre esses trabalhadores, que rejeitaram a proposta de aumento salarial de apenas 10%, estes pedem para que os reajustes sejam de 33%.

De acordo com Jilmar Tatto a atitude dos dissedentes, assim que são denominados os grevistas que rejeitaram a proposta, foi totalmente equivocada, já que muitos deles solicitaram para que passageiros que dependem do transporte, para que descessem dos coletivos, além disso aproveitaram para bloquear vias importantes da cidade.

O problema é que esse bloqueio forçado por parte dos manifestantes foi realizado de uma maneira que fez com que atitudes não pudessem ser tomadas pelas autoridades, já que muitos posicionaram os ônibus nas vias e retiraram as chaves do contato, e muitos murcharam pneus dos ônibus, para dificultar ainda mais a remoção dos mesmos.

O secretário declarou ainda que a atitude dos grevistas está errada, pois na cidade de São Paulo cerca de 80% dos trajetos dependem do ônibus, portanto Tatto defende que a população teria de ter sido prevenida para que este tipo de situação não ocorresse, já que o transporte de ônibus é a única alternativa para muitos moradores e trabalhadores da cidade de São Paulo.