Publicado em: quinta-feira, 09/01/2014

Secretário de Justiça critica a transferência dos presos do Maranhão

Secretário de Justiça critica a transferência dos presos do MaranhãoSebastião Uchôa, secretário de Justiça e Administração Penitenciária do Maranhão, disse que há possibilidade dos presos voltarem pior quando há uma transferência. Por isso pede uma análise mais criteriosa para os presos que serão encaminhados para os presídios federais. Ele disse que entende que a situação pode ser provisória e que o estado está construindo um presídio de segurança máxima, mas deve ser concluído só para daqui 6 meses e que, quando os presos são transferidos eles voltam pior do que foi, com um rótulo de autoafirmação porque puxou cadeia federal cirando uma situação ruim diante toda a massa carcerária.

Ainda sem dizer quando será a transferência, Uchôa afirmou que tudo já foi acordado e já estão tomando as providências. Para ele essa transferência se torna “um mal necessário”, pois eles não podem simplesmente transferir só os apenados que pertencem a uma facção. Diante de qualquer transferência é efetuado um histórico processual detalhado para a transferência e para assim não promoverem uma injustiça.

O secretário ainda disse que cada Estado precisa de uma adequação melhor de seus presídios, com segurança máxima e administração de seus próprios problemas.

A Folha de São Paulo divulgou um vídeo que mostra detentos decapitados na rebelião do mês passado, em 17 de dezembro, mas o secretário disse que não viu as imagens e não se pronunciou sobre o assunto.

Maranhão viveu dias de terror na semana passada. Na quinta feira (02) dois presos foram encontrados mortos, um dia depois vários ônibus foram incendiados e duas delegacias foram atacadas na Região Metropolitana da capital. Uma menina de 06 anos morreu com mais de 50% do corpo queimado no ataque e mais pessoas ficaram gravemente feridas. De domingo até segunda foram detidas 16 pessoas suspeitas de terem participado nos ataques a ônibus e delegacias.

Desde o ano passado 62 detentos foram mortos e foi isso que culminou todo o ataque.