Publicado em: quinta-feira, 10/05/2012

Seca na Bahia ocasiona cancelamento de festividades

A Bahia está passando pela sua maior seca dos últimos 47 anos e com isso a mais tradicional festa do interior do Estado acabou sendo atingida: o São João. Até a manhã desta quinta-feira (10), ao menos 12 cidades já tinham cancelado toda a programação junina e outras quatro haviam reduzido os dias de celebração. Depois do Carnaval, essa é a maior festa da Bahia. Em muitas partes das cidades interioranas, as festas juninas atraem mais visitantes do que a folia de Momo.

O Tribunal de Contas dos Municípios fez recomendações para os prefeitos das cidades castigadas por esta grande seca evitarem despesas com os festejos. Além disso, o Ministério Público também anunciou a realização da fiscalização dos gastos feitos pelas prefeituras durante este período. A promotora Rita Coutinho informou que os responsáveis pelos eventos precisam comprovar que os valores gastos com a infraestrutura e contratação de artistas não irão atrapalhar as ações de combate à seca.

Entretanto, as sugestões do TCM e do Ministério Público, não foram bem vistas por vários administradores, que consideram o São João uma ótima oportunidade para conquistar simpatia e votos. Em Mucugê, cidade localizada na Chapada Diamantina, a prefeitura utilizou à tradição para justificar a conservação da festa, mesmo que a longa estiagem tenha causado grandes prejuízos. O secretário de turismo da cidade, Euvaldo Junior afirmou que a festa de São João possui mais de um século e por isso não pode ser cancelada assim. Ele garante ainda que atrai muitos turistas, movimentando a economia da cidade.

Segundo a UPB (União dos Municípios da Bahia), as cidades de Muquém do São Francisco, Filadélfia, Miguel Calmon, Barrocas, Várzea Nova, Tapiramutá Tucano, Nova Fátima, Caem, Mirante, Mundo Novo e Serrolândia desistiram da festa.

Das 417 cidades do estado, 220 estão em estado de emergência por causa da seca. Um dos municípios mais atingidos é Uauá, onde a prefeitura anunciou que irá realizar uma audiência pública para saber se a população é favorável à realização da festa ou se quer o cancelamento.