Publicado em: terça-feira, 27/03/2012

Sarkozy pede para que canais franceses não exibam vídeo de atirador de Toulouse

Nesta terça-feira (27), o presidente da França, Nicolas Sarkozy, pediu para os canais de televisão não divulguem as imagens do massacre em Toulouse. Os vídeos dos assassinatos cometidos por Mohamed Merah estão com a emissora Al-Jazeera, que possui sede no Qatar. As gravações apresentam o extermínio feito pelo extremista em uma escola francesa judaica e também contra militares. Merah filmou seus crimes utilizando uma câmera no pescoço.

A gravação possui 25 minutos, sendo que as imagens foram editadas pelo assassino e trazem, ao fundo, músicas muçulmanas religiosas. O canal Al-Jazeera, que recebeu as gravações em um pen-drive, disse que irá decidir de mostrará ou não os vídeos nesta terça-feira. Nos vídeos é possível ouvir os gritos de pavor das vítimas.

Família da vítima pede que vídeo não seja mostrado

A família de Jonathan Sandler, o professor de foi assassinado junto com os dois filhos na escola judaica em Toulouse, também solicitou a imprensa que os vídeos não sejam mostrados. Em entrevista a AFP, o advogado, Patrick Klugman, faz o pedido da família, e pede que os meios de comunicação “respeitem sua dor e luto”. Ele afirma ainda que irá recorrer a Justiça para que as imagens não sejam transmitidas.

Latifa Ibn Ziaten, mãe de um dos militares mortos por Merah, também fez o pedido em uma entrevista a AFP. A mulher afirma que querem fazer do assassinato de seu filho de 30 anos um filme, e ela diz que não quer ver isso. Mohamed Merah tinha 23 anos e assassinou, entre os dias 11 e 19 de março, três soldados, três crianças e um professor nas cidades de Montauban e Toulouse. Ele foi morto durante um tiroteio com a polícia francesa no dia 22 de março.