Publicado em: segunda-feira, 12/03/2012

Sarkozy defende protecionismo para empresas europeias

Neste domingo (11), o presidente da França e candidato a reeleição, Nicolas Sarkozy, defendeu, em seu primeiro grande comício eleitoral, medidas de proteção para as empresas da Europa. Além disso, Sarkozy também ameaçou retirar o país do espaço Shengen, caso os acordos relacionados à política de abertura das fronteiras e livre circulação de indivíduos, para que se evitem as imigrações ilegais, não forem revistos.

Sarkozy discursou longamente em Villepinte, perto da capital Paris, para uma plateia de 50 mil pessoas. O candidato à reeleição afirmou que apenas uma política forte pode fazer com que a França fique livre do deslocamento de pessoas. Sarkozy defendeu, novamente, um “Buy European Act” (Ato Compre Europeu, em tradução livre), que seria uma medida para buscar proteção para as empresas europeias.

Buy European Act

A medida se baseia no Buy American Act, feito nos Estados Unidos em 1933, sendo uma “legislação que obriga a reservar uma parte das encomendas públicas feitas pelo governo a empresas locais”. Desta forma, Sarkozy afirma que, a partir de agora, as pequenas e médias empresas da Europa deverão participar de uma cota no mercado público, sendo que esta cota estaria reservada.

Na tentativa de tentar reverter à situação que o aponta como derrotado nas urnas no dia 6 de maio, Sarkozy se aproveita do tempo que possui antes que a campanha oficial comece. Isso porque todos os candidatos terão o mesmo tempo para falarem na televisão sobre suas propostas. Em consequência disso, Sarkozy pretende reverter as sondagens com um discurso de direita e como lema “Uma França forte”.