Publicado em: sexta-feira, 03/01/2014

São Paulo tem Ensino aquém da média do País no Pisa

São Paulo tem Ensino aquém da média do País no PisaSomente quatro redes de ensino estaduais brasileiras têm implicações elevadas à média total do Brasil, conforme subsídios do Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa) do ano passado. A rede de São Paulo, o Estado mais endinheirado do País, fica inferior do Brasil na média das ciências medidas.

Os elementos dissociados pelas redes de cada Estado são do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), que opera com a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) na concretização do Pisa. A OCDE atinge a ponderação nas 34 nações apreciadas de primeiro mundo e em outros acenados, como o Brasil.

Nesta derradeira edição, o País ficou em 57º lugar entre os 65 países participadores. O Brasil permanece entre os que mais desenvolveram em contagem desde 2000, quando o exame foi inventado, porém também não obteve fôlego para afastar-se das últimas disposições. O apontador geral induz as redes particular e pública. Quando apartadas somente as redes estaduais (que agrupam 85% das inscrições do ensino médio, idade em que está grande parte dos estudantes ajuizados no Pisa), o panorama é mais inquietante.

Até a rede estadual melhor classificada no Pisa, a de Santa Catarina, com 422 pontos, também permanece a 75 pontos de extensão da média das nações abastadas. A pontuação corresponde a quase dois anos de prática.

A rede estadual de São Paulo ocupa apenas a quinta colocação do País, entretanto está um ponto aquém da média geral do País. Somente na disciplina de Matemática o saldo paulista é elevado em relação à média do Brasil.