Publicado em: sábado, 23/06/2012

São Paulo entra em estado de alerta por conta de execuções de policiais

Os mais de cem mil policiais militares do estado de São Paulo estão em alerta por causa das execuções de policiais que ocorreram nos últimos dias na capital. A carta com essa informação foi divulgada pelo comandante-geral da PM, coronel Roberval Ferreira França, nessa sexta-feira (22). Nos últimos dias pelo menos seis policiais foram mortos. Em pelo menos cinco desses assassinatos, os crimes podem ter sido encomendados.

Na carta, França diz que todas as patrulhas que estão em serviço foram orientadas a ter uma conduta de segurança especial, atendendo as ocorrências sempre em duas viaturas e com aumento de cautela quando motos, veículos e pessoas suspeitas se aproximarem.

As suspeitas são de que os assassinatos que vitimaram os policiais e que tem características de execução foram encomendados pelo grupo criminoso PCC, que estaria em uma ação de retaliação contra uma operação que foi realizada pela Rota e que teria matado seis homens no final do mês de maio, na zona leste da capital paulista.

Um dos indícios disso é que o bar onde as mortes provocadas pela rota teriam acontecido foi incendiado durante a madrugada de quinta-feira.

A suspeita de retaliação também estaria sendo motivada pelo fato de que um dos homens que foram presos nessa ocasião em que o PCC e a Rota se enfrentaram foi levado para a Rodovia Ayrton Senna, onde foi torturado e morto.