Publicado em: quinta-feira, 24/01/2013

Samsung ultrapassa Apple e vira maior compradora de chips

Samsung ultrapassa Apple e vira maior compradora de chipsEm outro capítulo da disputa entre Samsung e Apple, a empresa sul-coreana ganhou vantagem outra vez. No ano passado, a fabricante foi a que mais comprou chips em todo o mundo, tendo gastos que chegaram a US$ 28,9 bilhões, um valor que foi mais que dobro da Apple que teve US$ 13,6 bilhões.

No ano de 2011, a empresa norte-americana tinha ficado por pouco em frente da Samsung, foram US$ 18,8 bilhões em compras da Apple, contra US$ 18,6 bilhões da Samsung. Estes dados são da empresa Gartner que faz pesquisas. Em 2012, Samsung e Apple significaram 15% do mercado de semicondutores, e tiveram aumento de US$ 7,9 bilhões em compras.

Samsung e Apple estão travando batalhas ferozes em busca da hegemonia do mercado global de aparelhos smartphones. A empresa sul-coreana, porém, tem outros negócios fora PCs e aparelhos celulares, como aparelhos de áudio e TV, além de eletrodomésticos, que estão utilizando cada vez um número maior de semicondutores, o que aumenta o volume de compras.

O desempenho destas duas marcas em 2012 teve contraste junto ao mercado. Conforme o Gartner, o setor teve retração de 3%, tendo apresentado receita de quase US$ 300 bilhões. Entre as dez empresas que mais compram semicondutores em todo o mundo, que tem responsabilidade por 36% de todos os gastos totais, seis contaram com investimentos inferiores em 2012. Nesta lista há empresas como LG, HP, Dell, Toshiba, e Nokia.

O analista Mastsune Yamaji diz em comunicado que além do cenário econômico que está fraco, há uma grande alteração na demanda de consumidores, o que contribui para a redução do do mercado no ano passado. Ele diz que o PCs tiveram maiores volumes de compras de chips, porém desktops e os notebooks não tiveram boas vendas, pois o interesse de consumidores foi voltado para dispositivos menores como smartphones e tablets.

Yamaji disse ainda que o aumento da demanda de servidores e equipamentos para infraestrutura que ofereçam serviços em nuvem irá compensar as reduções com a maior procura por tablets e smartphones.