Publicado em: terça-feira, 13/03/2012

Saída de Teixeira não muda atitude do governo para o Mundial de 2014

Depois da Saída de Ricardo Teixeira da CBF e do Comitê Organizador da Copa de 2014, Aldo Rebelo, ministro do Esporte, disse que a renúncia de Teixeira não influencia nas atitudes do governo quanto a Copa do Mundo. Segundo Rebelo, mesmo com outra pessoa no comando do Comitê, os trabalhos serão em conjunto para alcançar o melhor objetivo dentro do prazo estipulado. Para o ministro, todos trabalham com um objetivo único que é fazer com que o mundial de 2014 seja vitorioso.

Rebelo salientou que a mudança no comando do Comitê e da CBC também não vão influenciar de forma negativa o ritmo das obras, como na construção dos estádios, por exemplo. Segundo ele o calendário continua o mesmo até porque já temos um substituto para Teixeira que vai trabalhar par que tudo fique pronto dentro do acordo com a Fifa.

Rebelo evita falar sobre denúncias na CBF na gestão do ex-presidente

Ao ser questionado sobre o que pensava a respeito da saída de Teixeira e sobre a sua gestão nos 23 anos de CBF, Rebelo disse que preferia não dar sua opinião pessoal e nem como ex-participante da CPI da Nike. A CPI foi instaurada na Câmara dos Deputados e teve por objetivo apurar irregularidades na CBF durante a gestão de Teixeira.

Ele salientou que até gostaria de dar sua opinião, mas que no cargo de ministro deve se conter. Disse apenas que o governo vai preparar a Copa ao lado do Comitê Organizador Local, independente de quem esteja à frente da entidade. A meta é que tudo fique pronto dentro do previsto no calendário do Mundial. Teixeira comunicou sua saída por meio de carta e disse que deixaria o COL depois de ter feito tudo o que podia, mas que o comitê parecia desorganizado aos olhos dos outros.