Publicado em: quarta-feira, 09/11/2011

Rússia rejeita apoio a novas sanções ao programa nuclear do Irã

A Rússia rejeitou nesta quarta-feira (09) a possibilidade de dar apoio à aprovação de uma nova rodada de sanções contra o Irã por conta do relatório da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) indicando que o país estaria desenvolvendo armas atômicas. Para o vice-ministro russo do Exterior, Gennady Gatilov, tal medida poderia ser interpretada como uma tentativa para mudar a maneira do atual regime no país.

Depois da divulgação do relatório da AIEA, o governo do Irã declarou que não vai desistir do seu programa nuclear e que vai responder de maneira arrasadora a qualquer iniciativa de ataque militar contra o país. O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, teria negado que o país está desenvolvendo uma bomba atômica e criticou os Estados Unidos. “Nós somos inteligentes e não vamos construir duas bombas para enfrentar as 20 mil que vocês [Estados Unidos] têm,” declarou Ahmadinejad. O presidente do Irã estavam em Chaharmahal Bakhtiari, no sudoeste do Irã.

Para o presidente iraniano, o relatório é “absurdo” e se deixa pressionar pelas opiniões dos Estados Unidos e de outros países ocidentais. Ahmadinejad afirmou que a AIEA perde seu prestígio perante o Irã ao fazer tais publicações em documentos usados como referência. Além do presidente, o representante do Irã na AIEA, Ali Asghar Soltanieh, acusou o diretor da instituição, Yukiya Amano, de cometer um “erro histórico”.

O Irã também já assegurou diversas vezes que, caso se sinta ameaçado, fechará o Estreito de Ormuz, a entrada para o Golgo Pérsico, que é a principal região de passagem de 40% do petróleo consumido internacionalmente.