Publicado em: terça-feira, 29/04/2014

Rússia lamenta cortes na cooperação tecnológica com os EUA

Rússia  lamenta cortes na cooperação tecnológica com os EUAOs Estados Unidos da América divulgaram que haverá restrições em relação ao número de exportações de alta tecnologia para os russos. A decisão faz parte das medidas tomadas por causa da situação atual da Ucrânia. De acordo com o vice-chanceler Sergei Ryabkov, a atitude significa um verdadeiro golpe para as companhias do setor.

Uma das maiores potências mundiais deixou claro que não vai emitir mais autorizações de exportação seja para qualquer tipo de alta tecnologia que tenha cunho de otimizar a capacidade militar russos. Em relação as licenças já concedidas, elas serão revogadas. Sergei Ryabkov revelou em entrevista que essa situação é bastante óbvia e que até o momento Rússia e Estados Unidos tiveram uma forte cooperação.

Com a aliança entre os dois países foi possível lançar dois satélites construídos inteiramente pelos norte-americanos ou com algumas peças elaboradas por eles. Russia e EUA estão em momento de conflito considerado por muitos especialistas de uma possível nova Guerra Fria.

O motivo do atrito entre os dois países é a Ucrânia. Mesmo assim, eles estão juntos na guerra espacial. Isso porque somente os foguetes russos podem levar astronautas para a Estação Espacial Internacional. Isso porque a Nasa não coloca mais em atividade os seus ônibus espaciais desde o ano de 2012.

A agência espacial norte-americana está estritamente proibida de fazer contato com a Rússia. O que está livre desta restrição é a operação da Estação Espacial. Isso porque trata-se de um projeto avaliado em cerca de 100 bilhões de dólares e inclui também outros 13 países.

Apesar disso, os demais projetos ficam ameaçados. O diretor do Instituto de Avaliações Estratégicas, Sergei Oznobishchev, ressalta que essa situação é bastante delicada até mesmo porque a indústria da defesa russa não estava preparada para isso.

Ele confirma que não será só a Rússia que terá impactos, mas os EUA também não estarão livres das consequências. Mesmo assim, não se pode esconder que o maior prejudicado em relação à transferência de tecnologia será a Rússia.