Publicado em: quarta-feira, 23/11/2011

Rússia critica Estados Unidos por intenção de instalar escudo antimísseis

O presidente da Rússia, Dmitri Medvedev, criticou a intenção dos Estados Unidos de incluírem um escudo antimísseis e afirmou que, caso essa medida seja levada adiante, o governo russo pode instalar mísseis nas fronteiras da União Européia, além de um “sistema de armas moderno” em Kalingrado. Tal medida será adotada caso a Rússia, os Estados Unidos e a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) não cheguem a um acordo.

Outra medida que pode ser tomada pela Rússia é a saída do Tratado de Redução de Armas Estratégicas (Start) assinado em Washington em abril de 2010, o qual tem o objetivo de reduzir a produção de armas nucleares. No Senado norte-americano, o Tratado foi ratificado em dezembro, enquanto a Rússia aprovou o projeto no Parlamento em janeiro. O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou que considera esse Tratado o mais importante das últimas duas décadas. Com isso, caso a Rússia saia do Tratado, Obama acredita que isso estremeceria as relações diplomáticas.

Enquanto o governo russo acredita que um escudo antimísseis representa uma ameaça ao seu armamento, o governo norte-americano defende que o utensílio seria usado para proteger os Estados Unidos de possíveis ataques vindos de países como o Irã.

A princípio, os planos de defesa desenvolvidos durante a era Bush (2001-2009) visavam instalar bases de defesa na Polônia e na República Checa, mas essa estratégia desagradou à Rússia. No governo de Obama os planos mudaram, mas Moscou ainda não está satisfeita. O governo russo ainda acredita que a revisão do projeto apresenta uma ameaça aos seus interesses.