Publicado em: quinta-feira, 28/11/2013

Ross Brawn não permanecerá na Mercedes para a temporada 2014 da Fórmula 1

Ross Brawn não permanecerá na Mercedes para a temporada 2014 da Fórmula 1Aos 59 anos de idade, o inglês Ross Brawn anunciou que não permanecerá na equipe Mercedes para a temporada 2014 da Fórmula 1. Chefe da equipe de Brackley, ele decidiu não continuar os trabalhos no próximo ano. Assim, quem acumulará suas funções será o atual diretor-executivo de negócios, Toto Wolff, ao lado do diretor-executivo da área técnica, Paddy Lowe.

Um dos nomes mais conhecidos no paddock, Ross Brawn já havia sido campeão na Fórmula 1 em três escuderias diferentes: Benetton, Ferrari e Brawn GP. Na Mercedes, o britânico estaria estressado devido ao grande número de cargos de chefia por ele desempenhados. Em 2009, o engenheiro havia comprado a Honda, que passou a chamar Brawn, que por sua vez, foi vendida posteriormente para os alemães da Mercedes.

Pelas redes sociais, tanto Hamilton quanto Rosberg se manifestaram em relação à saída de Ross Brawn. Pelo Twitter, o alemão afirmou que trabalhar com o chefe inglês foi uma experiência grande e lembrou de sua primeira vitória na Fórmula 1, no Grande Prêmio de Mônaco. Já o piloto britânico, que está na Mercedes desde o início deste ano, declarou que o engenheiro construiu a equipe para que o sucesso possa vir no próximo ano.

O último título de Brawn na Fórmula 1 foi com a equipe Brawn em 2009, quando venceu o Campeonato Mundial de Construtores e de Pilotos, com o inglês Jenson Button. O vice-campeão mundial naquela temporada foi o brasileiro Rubens Barrichello, também da mesma escuderia.

Mercedes conseguiu a segunda colocação na classificação final do Mundial de Pilotos

Em 2013, a Mercedes foi a vice-campeã mundial de construtores, e somou 360 pontos, ficando atrás apenas da Red Bull, que acumulou 596 pontos. A equipe alemã conseguiu ficar à frente da Ferrari, que fez 354 pontos. O melhor piloto da escuderia foi o britânico Lewis Hamilton, que foi o quarto colocado no Mundial de Pilotos, marcou 189 pontos, conquistou uma vitória e cinco pódios. Já o alemão Nico Rosberg foi o sexto colocado na classificação geral com 171 pontos.