Publicado em: quarta-feira, 21/01/2015

Ronald Rios reclama da Band após sair do CQC

O apresentador Ronald Rios usou seu canal pessoal no portal de videos Youtube para falar sobre sua dispensa do programa de humor CQC. Em uma produção de quase dez minutos, Ronald Rios falou mal dos chefes argentinos da atração e ainda se mostrou bastante inconformado com o fato de o material que ele gravou em Gaza e Israel não ter sido incluído no especial de reportagens do último ano. A Band informou a um portal de notícias que não pretende se pronunciar sobre as críticas recebidas no vídeo de Ronald.

O ex-apresentador relata no vídeo sobre o dia em que um de seus chefes argentinos o procurou para conversar e informou que ele iria sair do programa. Ele reclama que o próprio chefe o teria criticado por comemorar que teria mais tempo livre para se dedicar a novos projetos. O repórter ainda chamou atenção para outro ponto da conversa, em que o chefe teria elogiado a inteligência de Ronald Rios, afirmando que ele teria um senso melhor de realidade do que outros repórteres que iriam continuar na atração. Ronald se revoltou com o comentário, questionando se ele deveria ter sido mais burro durante seu trabalho.Ronald Rios reclama da Band após sair do CQC

Ronald ainda comentou no vídeo sobre algumas reportagens marcantes, como os momentos de tensão que viveu em Gaza, com barulhos de foquetes, drones e bombas. Ele lamentou que depois de fazer três matérias de risco na faixa de Gaza, que foram bastante polêmicas e um dos momentos de maior destaque do CQC no último ano, nenhum trecho tenha sido selecionado para exibição no especial de final de ano. Ronaldo reclamou que na época da exibição do material inédito, ele foi levado a vários canais e rádios do grupo Bandeirantes para falar sobre a experiência.

Ronald Rios define como ‘erro imperdoável’ ausência em especial

O repórter reclamou que boa parte do material exibido no especial era inútil, que teriam deixado suas reportagens de fora apenas para justificar sua saída do programa. Ele reclamou que viveu um período difícil com mais três colegas para realizar essa cobertura e não recebeu nenhuma assistência da emissora. Para ele, a ausência do material no especial foi uma facada nas costas.