Publicado em: terça-feira, 01/04/2014

Rodriguinho volta aos Travessos e diz que o pagode está ‘estagnado’

Rodriguinho volta aos Travessos e diz que o pagode está estagnadoSumido por quase novo anos, um dos grandes destaques do pagode, cantor Rodriguinho está de volta ao seu antigo grupo “Os Travessos”, formado por Edmilson, Rodrigão, Chorão e Filipe, eles não parecem ter ficado tanto tempo longe, no primeiro ensaio já demonstraram a sintonia que nunca perderam. Os pagodeiros contaram que o retorno tem “sabor de inovação”, acreditam que o pagode está ‘estagnado’, e é por esse motivo que a ‘banda dos anos 90 irá continuar de onde parou”.

Após 20 anos desde a formação da banda, os integrantes estão diferentes, Rodriguinho engordou, segundo o próprio Chorão se define como mais homem. Felipe ainda comanda o vocal, Edmilson e Rodrigão tem filhos adolescentes. E além dos integrantes, a banda também teve mudanças, guitarras e baterias mais pesadas foram adquiridas, a pretensão é que eles consigam fazer um som mais arrojado com dez músicas inéditas, no novo CD “Tarde ou Cedo” e reformular as antigas canções que foram sucesso, entre elas está incluso: “Quando a gente Ama”, “Meu Querubim”, “Adivinha”. O grupo agora com três dançarinas, inseriram passos de hip-hop as novas apresentações. Rodriguinho conta que essa volta repentina do grupo de pagode é necessário para trazer inovação e um modelo diferente ao pagode.

Apego a década de 90

O vocalista acredita que o estilo musical atual não evoluiu, até mesmo alguns grupos de muito sucesso caíram no esquecimento com o tempo, ele lembra que, os grupos novos usam como exemplo os antigos e por isso não há inovação neste segmento musical. “Se pegarmos o que apareceu de grupos novos são poucos. Vamos de que quem? De Turma do Pagode, de Thiaguinho, que era do Exaltasamba e saiu.

A raiz está toda na década de 90”, afirma o cantor. Rodriguinho diz que a volta de grupos antigos é a razão da música que foi marcada nos anos de 1990 e 2000, mesmo depois de tantos anos, a volta com “Os Travessos” é nova, não só nos, mas as pessoas também conseguem enxergar essa versão.