Publicado em: sábado, 08/03/2014

Rivaldo oferece ajuda em caso de racismo envolvendo Arouca

Rivaldo oferece ajuda em caso de racismo envolvendo AroucaNa noite desta quinta-feira, 6 de março, o Santos foi a Mogi Mirim e, com uma goleada por 5 a 2, garantiu matematicamente sua presença na fase eliminatória do Paulistão de 2014. A festa, entretanto, foi ofuscada por mais um caso de racismo no futebol brasileiro, desta vez contra o volante Arouca, que marcou um belo gol na partida.

Na saída do gramado, quando dava entrevistas a veículos de imprensa, Arouca foi xingado de macaco por torcedores do Mogi Mirim. O próprio volante não chegou a ouvir as ofensas, mas os membros da imprensa no local captaram os xingamentos. Embora não tenha ouvido os xingamentos de “macaco”, Arouca escutou quando um dos torcedores gritou que o jogador deveria ir para a África.

Ajuda

Caso a situação fosse relatada na súmula da partida, o Mogi Mirim poderia ser punido pelo STJD. Contudo, o árbitro da partida não incluiu as ofensas racistas em seu relato sobre o jogo. Ainda assim, devido às testemunhas, o Mogi Mirim pode ser punido pela Justiça Desportiva.

Rivaldo, presidente do Mogi Mirim, condenou a atitude de parte de sua torcida. O ex-jogador afirmou, também, que vai ajudar na identificação dos torcedores, fornecendo as imagens das câmeras de segurança do estádio Romildão. Através do Twitter, Rivaldo afirmou que deseja que estes torcedores sejam punidos.

Preocupação

Ao mesmo tempo em que defende uma punição à torcida, Rivaldo se mostra muito preocupado com o que pode acontecer com o próprio Mogi Mirim. Atualmente, a equipe ocupa a quarta posição do Grupo D. Na tabela geral, que define o rebaixamento, o Mogi Mirim é o 14º colocado. Uma eventual punição com perda de pontos poderia colocar a equipe na zona de rebaixamento do Paulistão.

De acordo com Rivaldo, a equipe só seria passível de punição se houvesse briga nas arquibancadas, invasão de campo ou o lançamento de objetos no gramado. O dirigente declarou que o Mogi Mirim não tem como controlar a boca de sua torcida.

Orgulho

Horas após a partida, Arouca publicou uma nota para falar sobre o caso. No texto o volante do Santos disse ter orgulho de suas origens africanas. O atleta também questionou o fato de os torcedores afirmarem que ele não serviria para a Seleção Brasileira por ser negro, recordando-se de nomes como Leônidas, Romário e Pelé.

A menos de cem dias para a Copa do Mundo, o Brasil tem seu segundo caso relatado de racismo no esporte em menos de uma semana. No último domingo, em partida válida pelo Campeonato Gaúcho, o árbitro Márcio Chagas da Silva foi ofendido por torcedores do Esportivo, de Bento Gonçalves. Além dos xingamentos, o árbitro teve seu carro danificado pela torcida.

Diferente do caso que envolveu Arouca, entretanto, no Campeonato Gaúcho as ofensas foram devidamente relatadas na súmula do jogo. Por isso, há grande probabilidade de que o Esportivo seja punido de alguma maneira. A equipe de Bento Gonçalves pode perder três pontos, o que deixará o clube próximo da zona de rebaixamento no Gauchão.