Publicado em: quinta-feira, 12/03/2015

Rins lesionados podem ser usados em transplantes cirúrgicos

Os rins de alguém que morreu com problemas no órgão, como insuficiência renal, costumam ser descartados pela equipe médica para a realização de transplantes, por conta dos riscos de que a operação acabe com um resultado nocivo à saúde do paciente que receberá o órgão. Entretanto, essa prática pode mudar, porque uma pesquisa realizada por cientistas da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, dão conta que esses órgãos podem se tornar viáveis para a realização de um transplante. De acordo com informações da Sociedade Brasileira de Nefrologia, quem sofre de insuficiência renal aguda enfrenta uma redução muito rápida da função dos dois rins, em períodos que podem variar, que podem resultar em um rim que não consegue completar sua função básica.

Em alguns casos, a maioria deles, os rins conseguem recuperar a função sem problemas. Já quem sofre da insuficiência renal crônica, enfrenta uma perda progressiva, lenta e irreversível das funções. Em casos como esse, o paciente é obrigado a realizar com frequência o tratamento com diálise. Em casos mais graves, somente um transplante de rim pode resolver o problema. Entretanto, o estudo dos pesquisadores de Yale foi publicado no American Journal of Transplantation nessa semana, revelando a análise de índices de descarte dos órgãos de pacientes que sofreram da insuficiência aguda.Rins lesionados podem ser usados em transplantes cirúrgicos

Os resultados da pesquisa indicaram que os rins com insuficiência renal aguda também são descartados nos transplantes médicos. Entretanto, nos casos em que esse órgão foi transplantado, o paciente que recebeu o rim apresentou uma função mais lenta, com necessidade realizar hemodiálise durante a primeira semana após o transplante, mas depois, o paciente não registrou falência dos rins, mesmo passados seis meses da cirurgia de transplante. Outra boa notícia descoberta com o estudo foi que os pacientes que receberam rins com esse tipo de lesão apresentaram um pós operatório bastante similar ao de pessoas que receberam rins saudáveis.

Isso indicaria que mesmo o rim lesionado seria capaz de criar um pré condicionamento, uma forma de proteger o órgão dos efeitos que as lesões poderiam causar. Os resultados indicam que os rins lesionados podem ser usados para transplante médico, ainda mais com as extensas listas de espera por doações.