Publicado em: quinta-feira, 08/12/2011

Reunião em Durban busca conciliar novo Protocolo de Kyoto

A reunião das Nações Unidas sobre mudança climática em Durban, na África do Sul, também conhecida como COP 17, está a dois dias de terminar, mas líderes ainda não chegaram a uma conclusão sobre qual acordo deve substituir o Protocolo de Kyoto. Os países que estão dificultando as negociações são, principalmente, a Índia e a China, ainda em desenvolvimento, e os Estados Unidos, sendo que os três são os maiores poluidores.

No caso da Índia, por exemplo, o governo defende a assinatura imediata de um protocolo que dê continuidade às metas já definidas, mas que não exija o mesmo esforço dos países ainda em desenvolvimento. Por outro lado, os Estados Unidos não querem assumir nenhuma responsabilidade legal nesse período pré-eleitoral, pois as eleições presidenciais norte-americanas acontecem em 2012. Enquanto isso, a União Européia exige um documento com metas, que aos poucos seja adotado por outros países com as suas próprias metas.

A dificuldade em assinar um acordo consiste em encontrar um meio-termo para todas as exigências que foram feitas pelos líderes internacionais. O Brasil, por sua vez, afirmou que prefere esperar até a publicação do relatório produzido pelo Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática (IPCC, na sigla em inglês), que deve ser divulgado entre 2013 e 2014.

Porém, o Protocolo de Kyoto tem validade somente até 2012 e ainda não há nada que o substitua. Além disso, a crise na zona do euro está sendo apontada como um dos motivos para desviar a atenção dos líderes do bloco da reunião em Durban.