Publicado em: terça-feira, 27/09/2011

Reunião do G2O teme aumento de desemprego com crise econômica

A reunião entre os membros do G20 e os ministros do Trabalho de cada nação aconteceu nesta segunda-feira (26), em Paris. Um dos assuntos que mais preocupou os participantes foi a previsão que os índices de desemprego podem achegar a até 40 milhões de pessoas se a crise continuar. O valor é mais do que o dobrou registrado até o dia de hoje.

Com a possibilidade que o numero de desempregos dobre nos próximos meses, os líderes voltaram a considerar o emprego como uma das prioridades das ações que devem ser discutidos pelo líderes do bloco econômico na próxima cúpula que está agendada para novembro, em Cannes.

Segundo os dados apontoados pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) e a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), os efeitos das perdas econômicas sobre o emprego devem piorar se o movimento de desaceleração das econômicas prosseguir.

Ambas as organizações alertam que se o movimento de progressão continuar, o numero de desempregos que serão somados até 2015 mais os 20 milhões de pessoas atualmente desempregadas devem causar uma taca equivalente aos que era observados nos países do G20 há 10 anos atrás.

“A crise de emprego está afetando de forma particularmente dura os grupos mais vulneráveis pelo crescimento do desemprego de longa duração, a alta do desemprego juvenil e o aumento da informalidade”, alerta a declaração dos grupos.