Publicado em: quinta-feira, 01/09/2011

Reunião da ONU em Paris discute futuro da Líbia na era pós-Kadafi

Reunião realizada nesta quinta-feira (01) em Paris com o secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, e líderes internacionais teve como objetivo discutir a situação da Líbia no futuro quando chegar a era pós-Kadafi. Na reunião, a Rússia reconheceu a legitimidade do Conselho Nacional de Transição (CNT) e passou a fazer parte do grupo de 60 países que aderiram ao acordo. Ainda, o embaixador extraordinário do Brasil para o Oriente Médio, Cesário Melantonio Neto, manifestaria o apoio brasileiro à transição do governo.

Ao mesmo tempo em que o governo da Rússia deu apoio aos rebeldes, o país também criticou a ação da Otan na Líbia. O pronunciamento oficial publicado no site do governo afirma que “a Federação Russa reconhece o Conselho Nacional de Transição como as atuais autoridades (no país norte africano). Agimos a partir da posição de que todos os tratados previamente acordados e outras obrigações mútuas (…) serão implementados em boa-fé.”

O encontro foi organizado para que as novas autoridades da Líbia tenham uma oportunidade para pedirem auxílio nas questões que dizem respeito às restaurações necessárias nos campos de segurança, reconstrução e preparação do país para uma democracia.Batizada de ‘Amigos da Líbia’, a reunião aconteceu antes dos conflitos internos do país terminarem.

Antes da reunião, o assessor de planejamento para a Líbia, Ian Martin, havia afirmado que a ONU descartou a opção de enviar agentes militares ao país. De acordo com ele, a Líbia deixou bem claro que não deseja interferência internacional na resolução dos conflitos. Já nesse momento a ONU havia se colocado à disposição para conciliar o período da democratização do país.