Publicado em: sábado, 20/08/2011

Restaurantes sofreram a maior alta na avaliação prévia da inflação

As refeições em restaurantes ficaram mais caras em julho. Segundo o IPCA-15 (Índice de Preços ao Consumidor Amplo – 15), o hábito foi o item que sofreu o maior impacto individual segundo a avaliação prévia da inflação oficial no Brasil. Os dados foram divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta sexta-feira (19).

Os restaurantes sofreram a alta de 0,92%. O impacto no índice foi de 0,04%. O grupo de bebidas e alimentação subiu 0,21% neste mês, com as refeições em primeiro lugar. Em julho, o mesmo grupo apresentou a queda de 0,39%.

No geral, o IPCA-15 apresentou a variação de 0,27% no mês de agosto, enquanto em julho o índice estava em 10%. O valor ficou mais alto do que era esperado e ainda mais distante das metas do governo. Além da alimentação, estão em alta os artigos de residência e aluguéis de imóveis.

O IBGE informou que é alta é resultada da elevação de preços de alguns dos principais itens que compõem as refeitos. Entre os produtos que sofreram a maior alta está o feijão carioca que em julho estava abaixo de 0,73% e agora subiu para 1,21%, seguido do arroz de e pelas carnes.

O IPCA-15 é um índice utilizado elo governo que serve como uma referencia para a avaliação das metas de inflação. a coleta é feita mês a mês.