Publicado em: domingo, 09/11/2014

Responsável por Ponto Frio e Casas Bahia anuncia venda de móveis planejados

Responsável por Ponto Frio e Casas Bahia anuncia venda de móveis planejadosNa sexta-feira a Via varejo, que é responsável pelo Ponto Frio e também pelas Casas Bahia fez o anúncio que irá passar a vender em suas lojas, móveis planejados, além disso haverá também a modernização dos ambientes que são utilizados para expor os móveis nas lojas, esta é uma aposta para tornar as ofertas sofisticadas para com isso aumentar às vendas em um setor do país que se encontra fragmentado.

Através dessa nova empreitada da Via Varejo que tem a liderança no mercado e além disso é proprietária da fábrica de móveis Bartira, tem a expectativa de conseguir uma participação em um mercado que movimentou R$ 60 bilhões no ano passado, sendo desses, R$ 5 bilhões pela própria Via Varejo, o que representa em torno de 20% de suas vendas.

Segundo André Caio, Diretor comercial de móveis da empresa, as pessoas que já estão habituadas a compras nas lojas, prosseguirão encontrando os mesmo produtos com os quais já estão acostumadas, a nova aposta tem o como foco principal atrair clientes novos e que não costumam comprar nestas lojas.

Com essa nova aposta e a modernização dos espaços expositores de móveis, a Via Varejo colocará à disposição dos clientes móveis planejados em ambientes igualmente planejados, seguindo a forma com que trabalham outras empresas no segmento de móveis planejados, que dão opções mais caras ao cliente e com design mais forte.

Foi efetuada uma parceria com a Unicasa e através disso será possível que clientes que desejam ter móveis planejados, mas que veja, isso como um desejo de custo muito alto, sejam atraídos pela novidade, já que enquanto uma cozinha de aço tradicional tem seu preço fixado, partindo de R$ 800, a de módulos em torno de R$ 1.500 e uma que seja planejada cerca de R$ 3 mil, de acordo com Libano Barroso, que é diretor presidente da Via Varejo, não há no mercado de móveis planejados que custem menos que R$ 10 mil, sendo assim esta nova aposta está dando aos clientes uma nova possibilidade de valores.

Segundo Barroso o fato de o setor industrial de móveis ser pulverizado no país ajudou no fato de este segmento do mercado não ter acompanhado os desejos e anseios de consumo da classe C, com a mesma velocidade do que a indústria de aparelhos eletrônicos, Barroso declarou que atendo-se a esse fator a empresa viu a possibilidade de liderar esse novo nicho no mercado criando tendências e atendendo essas novas necessidades dos consumidores.