Publicado em: sexta-feira, 18/11/2011

Repressão na Síria deixa 11 mortos nesta sexta-feira

Onze pessoas foram mortas nesta sexta-feira (18) pelas forças do Exército sírio em repressões contra protestos que visam derrubar o regime de Bashar al-Assad. A informação foi divulgada pelos Comitês de Coordenação Local e a violência aconteceu antes de expirar o prazo concedido pela Liga Árabe e pela Turquia para que o governo acabe com tais medidas contra seu próprio povo. Outros líderes internacionais demonstraram preocupação com a maneira como a Síria vem reagindo aos protestos.

Conforme militares dissidentes do Exército entram no combate e contra-atacam o Governo, a possibilidade de uma guerra civil no país começa a preocupar autoridades. Tornou-se uma tradição entre os manifestantes sírios organizarem as maiores concentrações nas sextas-feiras, pois é o dia da semana quando a população as reúne para os compromissos religiosos. De acordo com as informações dos Comitês, uma das vítimas desta sexta-feira é um adolescente de 14 anos.

Além dele, dois manifestantes foram mortos em Homs, um dos principais redutos de protestos contra Assad. Registrou-se a morte de outra pessoa em Hama e um número maior de vítimas em Rif Damasco, cidade próxima à capital. As Forças de Segurança também usaram violência em Harasta para dispersar a concentração de manifestantes.

Os protestantes pedem pela interferência internacional na Síria junto aos protestos contra o governo de Assad. Existe a possibilidade de autoridades desembarcarem na Síria para verificarem a situação e analisarem a necessidade da interferência militar. O governo informou a organização pan-árabe que está disposto a receber tais observadores no país. Assad também deve assinar um protocolo que regula grupos de observação.