Publicado em: sexta-feira, 07/03/2014

Representantes do setor elétrico enviam carta à Lobão, apontando a situação atual como ‘delicada’

Representantes do setor elétrico apontam a situação atual como ‘delicada’Definida como ‘delicada’ a situação do setor elétrico, 15 representantes de associações do setor , entregaram uma carta ao ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, uma carta no fim da tarde de ontem, quinta-feira (6). Nesta carta, eles declaram que a situação dos principais reservatórios de hidrelétricas do país é ‘delicada’, elas estão com o nível mais baixo desde 2001 por conta da falta da ausência de chuvas. No documento feito, os representantes pedem para que as discussões acerca do assunto, seja ouvida pelo governo, para que possam criar medidas para reverter este quadro. As entidades que assinaram a carta, são a Associação Brasileira das Empresas Geradoras de Energia Elétrica (Abrage), a Associação Brasileira de Grandes Consumidores Industriais de Energia e de Consumidores Livres (Abrace), a Associação Brasileira de Geradoras Termelétricas (Abraget) e a Associação Brasileira dos Investidores em Autoprodução de Energia (Abiape). Elas se uniram e pediram também para que possam fazer parte do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE). Na carta há um trecho que diz, que no cenário atual de escassez de recursos hidráulicos e de recursos térmicos que se encontra, também com capacidade instalada limitada, a situação merece maior atenção. Qualquer proposição deve ser tecnicamente embasada para que se possa encontrar, em conjunto com os agentes, soluções para fazer frente ao atual quadro de dificuldades. No final da tarde de ontem, Lobão esteve com a Presidenta Dilma para debater sobre o assunto e chegar alguma solução cabível ao problema.

Expectativa de chuva

De acordo com o Ministério de Minas e Energia, mesmo levando em conta esta piora gradativa que acontece nos reservatórios , eles afirmam que não há risco de faltar energia no país este ano. A esperança para este período é que as chuvas se intensifiquem até pelo menos o final do mês de Abril, que é quando o período úmido termina. A ONS também alega que , a expectativa é que até lá os reservatórios do Sudeste e Centro-Oeste atinjam 43% de armazenamento, para que não tenham maiores problemas quanto a demanda exigida.