Publicado em: quarta-feira, 02/04/2014

Renan Calheiros decidirá o funcionamento das CPIs da Petrobras hoje

Renan Calheiros decidirá o funcionamento das CPIs da Petrobras hojeAs duas Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs) relacionadas a investigação da empresa estatal Petrobrás, uma do governo e outra da oposição, estão oficializadas. As propostas receberam bastante críticas e o presidente do Senado, Renan Calheiros, dará a palavra final sobre o funcionamento dos pedidos.

Na última terça-feira, dia 1º de abril, os requerimentos que preveem a criação das CPIs foram lidos pela Mesa Diretora do Senado. Uma CPI é específica e a outra é ampliada, incluindo investigações que não tenham a ver com a Petrobrás.

Os senadores da oposição pedem a CPI restrita que diz respeito a investigações sobre duas denúncias de irregularidades na empresa de petróleo. Já a CPI ampliada, proposta por membros do governos, quer investigações sobre a estatal e ainda sobre as licitações do metrô da capital paulista. Isso porque o estado está sob o governo do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB).

Além disso, o governo ainda quer avaliações sobre as obras que acontecem no Porto de Suape, localizado no estado de Pernambuco. Já que o estado está nas mãos de Eduardo Campos, que faz parte do Partido Socialista Brasileiro (PSB). O governador de Pernambuco é um forte candidato a disputar o voto dos eleitores com a atual presidente Dilma Rousseff nas eleições presidenciais de 2014.

As discussões seguiram com a senadora do Partido dos Trabalhadores (PT) pelo estado do Paraná, Gleisi Hoffmann. Ela questionou que uma CPI da Petrobras não pode investigar quatro fatos ao mesmo tempo até porque um não tem conectividade com os outros. A senadora referiu-se à falta de segurança nas plataformas de petróleo, o recebimento de propina da companhia SBM Offshore, o superfaturamento em uma negociação de compra de refinaria com os Estados Unidos e o alto preço empregado nas construções de novas refinarias.

Outro que apresentou questionamentos na leitura das CPIs foi Aloysio Nunes, que é senador pelo PSDB de São Paulo. Ele contesta o pedido da oposição de incluir denúncias envolvendo governadores de Pernambuco e São Paulo sendo que o foco das investigações deve ser a estatal Petrobras. Renan Calheiros deve decidir de que forma as denúncias de irregularidades na Petrobras serão investigadas na sessão que irá acontecer ainda nesta quarta-feira, dia 2 de abril.