Publicado em: sábado, 02/07/2011

Remédio contra Aids pode causar velhice precoce, aponta estudo

O medicamento genérico utilizado no tratamento do vírus HIV na África e em outras regiões pobres é apontado como possível causador de envelhecimento precoce e outras doenças relacionadas com idade avançada. Os pesquisadores britânicos publicaram o estudo no jornal “Nature Genetics”. A pesquisa aponta que os remédios que agem como inibidores da transcriptase reversa (NRTIs) causa danos ao DNA mitocondrial.

Os cientistas acreditam que os remédios mais recentes utilizados para tratar a AIDS não poderiam causar níveis de danos semelhantes aos utilizados, já que a indústria farmacêutica acredita que eles sejam menos tóxicos para a célula. Porém, a equipe ainda não desenvolveu novas pesquisas para afirmam a suposição.

Os remédios do tipo NRTIs foram um grande avanço no tratamento da doença no final dos anos 80. O famoso AZT conseguiu prolongas a vida dos pacientes na época e ajudar a tornar o HIV uma doença crônica com gerenciamento de tratamento possível. O uso desses remédio conseguiu explicar os pesquisadores porque doentes que tomam a medicação antiga possuem sinais avançados de fragilidade e demência ainda jovens.

A preocupação está em inserir os remédios novos, fabricados por empresas como Gilead, Merck, Pfizer e GlaxoSmithKline, que ainda não são usados de formam generalizada, em países pobres. Atualmente, os NRTIs possuem uma menor utilização a longo prazo nos países ricos, que passam a utilizar remédios mais caros e com menos efeitos colaterais.