Publicado em: quarta-feira, 19/03/2014

Relógio Android está no forno, e Google lança sistema wear para viabilizar o gadget

Relógio Android está no forno, e Google lança sistema wear para viabilizar o gadgetFoi apresentado na última terça-feira (18) o Android Wear, um sistema operacional que vai estar presente em relógios inteligentes da empresa. O lançamento confirma rumores da mídia especializada de que o Google entraria neste mercado para fazer frente aos concorrentes, especialmente a Apple.

O sistema é baseado no mesmo que equipa outros dispositivos como smartphones, tablets e até mesmo alguns relógios conectados. A companhia ainda afirmou que outros computadores vestíveis levarão o Android Wear.

Foi publicado um vídeo apresentando o novo sistema Android Wear. Nele é possível identificar algumas funcionalidades, como confirmar compromissos, traçar rotas e ler notícias sobre fatos próximos à localização do usuário. Uma interface do Google Now ainda permite ditar mensagens e enviá-las, entre outras funções.

Já foi disponibilizado para download uma versão para desenvolvedores. O objetivo do Google é que estas pessoas testem o sistema de notificação do Wear, e ainda abre a possibilidade de surgirem novas funcionalidades que possam ser interessantes.

Possíveis portadores do sistema

O Google já garantiu que diversas empresas estão interessadas em criar dispositivos para rodarem o Android Wear. A expectativa é que um aparelho seja lançado ainda este ano. Entre as fabricantes, estão a Asus, HTC, LG, Motorola e Samsung. Além disso, os fabricantes de chip para o hardware Broadcom, Imaginaion, Intel, Mediatek e Qualcomm já manifestaram interesse.

Uma demonstração da alteração no sistema operacional do Google é o lançamento recente da segunda geração da linha de relógios inteligentes Galaxy Gear, da Samsung. Isso porque os aparelhos antigos vinham equipados com o Android tradicional, e esta nova linha chega ao mercado com o sistema Tizen, desenvolvido pela própria Samsung. Entretanto, isso pode não significar uma preparação para migração de linha Android. Isso porque a Samsung utilizava o sistema Bada antes de disponibilizar o sistema do Google.