Publicado em: sábado, 21/07/2012

Relatório diminui estimativa de arrecadação do governo para 2012

Em função do desaquecimento da economia, associado à desoneração de impostos aplicada pelas medidas implantadas pelo próprio governo, está havendo impacto na arrecadação de tributos por parte do Estado. De acordo com dados divulgados ontem pelo Ministério do Planejamento, a estimativa de recolhimento caiu R$ 13,3 bilhões. A Receita Federal estimava receber, durante todo o ano de 2012, cerca de R$ 890 bilhões. No entanto, com o cenário atual, a estimativa caiu para R$ 876,7 bilhões.

Previdência social terá maior arrecadação e contribui para manter os números elevados

O relatório indicou que o impacto da crise econômica no recolhimento não será maior em função da Previdência Social e também de receitas que não dependem, diretamente, do desenvolvimento da economia. Trata-se, por exemplo, dos dividendos das estatais. Esses números fazem parte do Relatório de Avaliação de Receitas e Despesas, o qual é feito a cada dois meses, apresentando estimativa e previsão sobre a economia e o orçamento. No último relatório apresentado, a previsão também já era de diminuição na arrecadação. Dessa forma, já é a segunda vez que há redução da estimativa de arrecadação. No último relatório, a projeção já indicava uma redução de, pelo menos, R$ 10 bilhões. No entanto, houve um aumento na projeção do valer a ser arrecadado pela Previdência Social.

Formalização do trabalho aumenta arrecadação da Previdência Social

Segundo o relatório, em função da formalização do trabalho, espera-se um aumento de R$ 3 bilhões na arrecadação desse setor. Além disso, espera-se elevação de R$ 6,236 bilhões nas receitas consideradas atípicas, ou seja, que não possuem relação com a economia. Um dos fatores que contribui para o aumento das receitas atípicas é o fato das estatais aumentarem o valor de envio para o Tesouro Nacional. Somente isso já teve aumento de R$ 3 bilhões na estimativa do novo relatório.