Publicado em: terça-feira, 27/03/2012

Redes sociais não são tão populares quanto e-mails

Nesta terça-feira (27) um estudo feito pela Ipsos/Reuters revelou que os e-mails ainda não mais populares no mundo do que as redes sociais. De acordo com a pesquisa, 85% das pessoas conectadas a rede mandam e recebem e-mails, e 62% destes mesmos usuários respondem mensagens através de sites de redes sociais. A maior porcentagem de usuários está na Rússia, Indonésia e Argentina. Segundo a pesquisa, mais de 80% dos internautas da Indonésia e 75% de russos, argentinos e sul-africanos utilizam as redes.

O estudo também informa que grande parte das pessoas está conectada através de e-mails e de redes sociais como o Facebook e o microblog Twitter. A porcentagem de usuários norte-americanos é menor, sendo de 6 para cada 10 usuários, apesar de diversas redes sociais e blogs terem sido desenvolvidos nos Estados Unidos. Entre os 24 países que fizeram parte da pesquisa, a porcentagem japonesa é a menor, com 35%.

Nova forma de comunicação

A gerente de pesquisa na Ipsos Global Public Affairs, Karen Gottfried, afirma que o fato de seis pessoas a cada dez utilizarem as redes sociais quer dizer que as pessoas estão se comunicando de uma forma diferente. Ela afirma que é uma “verdadeira interconexão e contato com os outros”, pois o ato não se trata somente de receber e mandar mensagens, sendo que apenas as mais importantes de fixam.

Para o estudo, a companhia entrevistou 19.216 pessoas em diversas partes do mundo através de uma pesquisa on-line. No uso do e-mail, a Hungria está no topo com 94%. Em seguida vem a Suécia, Bélgica, Indonésia, Argentina e Polônia. A Arábia Saudita é o país em que menos se usa o e-mail, com 46%. A pesquisa entrevistou pessoas de diversos países, como França, Turquia, Brasil, México, Índia, China, Coreia do Sul, entre outros.